Imagem ilustrativa – Internet

Enquanto o mundo está em ebulição – com demandas imensamente graves – a Paraíba se apequena mergulhada numa crise de vaidades que gera manchetes apimentadas por intrigas e interesses meramente pessoais.

Enquanto os desempregados reaparecem, hospitais padecem, feminicídio cresce e jovens se suicidam, os políticos – os responsáveis pela condução do povo – gastam todas as suas energias em discussões fúteis. Basta ver a atual querela do PSB. Nitidamente, situação e oposição demonstram o quanto apenas o “poder pelo poder” fascina alguns líderes. Com vísceras expostas boa parte da classe política, sem perceber, deixa escorrer pelo canto da boca a saliva que cheira mal. No final, todos perdemos, principalmente os pobres mortais que lutam diariamente para sobreviver e carecem das políticas públicas do Estado para amenizar suas dores.

E essa pobreza política paraibana é patenteada pelas pautas exaustivamente assumidas pela mídia. E mais que difundir a “corrida atrás do vento”, alguns agentes da imprensa invocam para si a vanglória da desgraça. Tem vibração para todo lado e gosto!

A torcida que deve crescer agora é aquela que pede para as lutas particulares, por espaços político-partidários, não interfiram nas ações govermentais em favor do povo. O resto é debate inútil. O povo espera um pouco mais de maturidade dos seus líderes e menos alvoraço pelo jogo baixo que seduz boa parte dos políticos.

Nesta hora, viva a Paraíba!

Rafael San – ManchetePB