O ministro Justiça e Segurança Pública — Sergio Moro — denegou hoje a autenticidade das mensagens publicadas pelo site The Intercept Brasil, mas ratificou que “algumas coisas” podem ter sido ditas por ele nas conversas com chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol.

Em audiência na CCJ [Comissão de Constituição e Justiça do Senado], Moro relatou ter sido usuário do aplicativo de mensagens Telegram por um “determinado período” em 2017, mas excluído o aplicativo depois que a imprensa norte-americana noticiou supostas invasões hackers no curso da corrida presidencial nos Estados Unidos, vencida por Donald Trump no ano anterior.

O ex-juiz colocar em dúvida a veracidade das mensagens vazadas, ele reafirmou que há trechos que podem ter sido “total ou parcialmente alterados”.

“Mas o fato é que ainda que tenha alguma coisa verdadeira, essas mensagens podem ser total ou parcialmente adulteradas, às vezes até com mudança de trecho ou palavra para caracterizar uma situação de escândalo que, no fundo, é inexistente”.

Valdelânio Benjamim – ManchetePB