A Ambev anunciou nesta sexta-feira (8) o lançamento de uma versão Skol puro malte. Ou seja, sem milho ou cereais não maltados nos ingredientes. Batizada de ‘Skol Hops’, a cerveja chegará nos próximos nas prateleiras das cidades de Recife, Salvador, Fortaleza, Teresina, Maceió e João Pessoa. Segundo a empresa, o produto estará disponível no segundo semestre em todo o Brasil.

A Skol Hops será oferecida em garrafas de 600ml e latas de 269ml. Segundo a Ambev, o preço final para o consumidor será em torno de 10% acima do valor da Skol pilsen.

Sobre a receita da nova cerveja, a Skol afirma se tratar de uma puro malte com “um blend exclusivo de lúpulos aromáticos”.

“Acreditamos que há cervejas para todos os públicos e gostos. Com Skol Hops surpreendemos o nosso consumidor com uma combinação única de lúpulos aromáticos que dão uma personalidade incrível à bebida e, juntos, mantêm o equilíbrio e a essência refrescante e leve de Skol”, afirma Laura Aguiar, mestre cervejeira de Ambev, no material de divulgação do lançamento.

Skol Hops será oferecida em garrafas de 600ml e latas de 269ml. (Foto: Divulgação)

Cresce consumo de cervejas mais caras no país

As vendas de cerveja acumulam 3 anos de queda no país. Segundo dados da Nielsen, as vendas totais de cerveja caíram 1,7% em volume em 2017 ante o ano anterior, enquanto que o faturamento cresceu 1,6%, impulsionado pelo crescimento de 13% das vendas de cervejas premium e artesanais. Ou seja, as empresas estão vendendo menos volume, mas por outro lado estão conseguindo elevar a penetração de rótulos mais caros.

Na Ambev, a receita líquida cresceu 5,9% no 1º trimestre na comparação anual, mesmo com queda de 1,8% nas vendas do Brasil, que foram impactadas por volumes mais fracos em cerveja e refrigerante, que caíram 8,1% e 19,4%, respectivamente.

Em seu balanço, a Ambev informou, entretanto, que as vendas do chamado “portfólio premium” da companhia, que inclui Budweiser, Corona e Stella Artois, seguiu sua trajetória de crescimento e avançou dois dígitos no trimestre.

A participação do segmento de cervejas premium nas vendas totais saltou de 7% em 2007 para 11% em 2016, de acordo com dados da Euromonitor. O número inclui as cervejas artesanais, mas também bebidas importadas e rótulos especiais ou simplesmente mais caros do portfólio dos grandes fabricantes.

COMPARTILHAR