Número de eleitores diminui após biometria em municípios da 10ª zona

Biometria
A biometria foi realizada em Guarabira, Araçagi e Pilõezinhos

Diminui o número de eleitores aptos a votarem em Guarabira, Araçagi e Pilõezinhos, pertencentes a 10ª Zona Eleitoral, para as eleições de 2016.

De acordo com dados oficiais registrados no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, em Guarabira a quantidade de eleitores passou de 39.978 em 2014 para 38.456 em 2016. Uma redução percentual de 3,8%.

Já em Araçagi os números passaram de 14.853 em 2014 para 12.671 em 2016, uma redução de 14,6%. E em Pilõezinhos a redução apresentada foi de 8,8%, saindo de 5.250 em 2014 para 4.786 em 2016.

Como a tendência para cada eleição é o natural aumento no número de eleitores, a redução apresentada tem relação direta com o processo de cadastramento biométrico, ocorrido na zona eleitoral entre agosto de 2015 e março deste ano.

Conforme os dados do TRE, a eleição de 2016 para Guarabira contará com 30 locais para votação e 155 seções eleitorais, 15 seções a mais que em 2014.

Em Araçagi haverá 55 seções distribuídas em 11 locais de votação, um aumento de 6 seções e 1 local em relação a 2014.

Para Pilõezinhos estão confirmadas 25 seções em 10 locais para votação, diminuindo uma seção e aumentando em 4 locais comparado com a última eleição.

Em 2016 quem conduzirá as eleições na 10ª Zona será a juíza eleitoral Hígia Antônia Porto Barreto. Já o promotor eleitoral será Andréa Bezerra Pequeno. Quem está respondendo como chefe do cartório eleitoral da 10ª Zona Desembargador Sílvio Porto é a analista Célia Virgínia Almeida da Costa.

Com Painel PB

Lira cogita disputar o Governo da PB em 2018, diz jornal

Lira
Raimundo Lira é filiado em PMDB

A edição deste domingo (26) do jornal Estadão, traz um perfil do senador Raimundo Lira (PMDB). A publicação diz que ele já cogita a possibilidade de disputar o governo da Paraíba nas eleições de 2018, embora prefira a reeleição ao Senado.

Confira:

BRASÍLIA – “O sr. votou pela admissibilidade do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Significa dizer que votará sim pela aceitação do mérito?”

No sofá confortável de uma das salas de estar de seu palacete no Lago Sul, em Brasília, o senador Raimundo Lira (PMDB-PB), de 72 anos, presidente da Comissão Especial do impeachment, ouviu a pergunta com um sorriso matreiro de quem fareja o perigo.

E assim respondeu: “Pelo fato de eu ter votado na admissibilidade alguns senadores da comissão podem olhar para mim e achar que eu vou votar sim, no mérito. É uma conclusão deles, não minha. Em relação ao mérito da denúncia, a minha posição é de total e absoluta isenção”.

O senador abriu a porta social do casarão para o Estado na tarde de um sábado, dia 18. Apresentou o mezanino que abriga a galeria de fotos da família Lira-Figueiredo – as de Cajazeiras (onde nasceu) e Campina Grande (onde se criou e enriqueceu), na Paraíba.

Acompanha-o, há 46 anos, a socióloga Gitana Maria Figueiredo Lira, que chama de Gigi. Tem quatro filhos e cinco netos. Dos quatro, os três que casaram tiveram como padrinho o empresário José Alencar Gomes da Silva (1931-2011), compadre de Lira muito antes de habilitar-se a vice-presidente de Luiz Inácio Lula da Silva.

O hoje senador estava na reunião que decidiu a entrada de Alencar no veleiro petista. Por conta do amigo, desistiu do voto tucano em seu ex-líder e amigo Fernando Henrique, nas eleições de 94 e 98. Cravou Lula em 2002 e 2006. Votou em Dilma em 2010 e em 2014, “para acompanhar a posição do PMDB”.

O senador levou cinco anos para construir o solar do Lago Sul. Não é o único casarão de sua recheada carteira de imóveis. O outro, em Campina Grande, tem 1.600 m² de área construída – pouco maior que um campo de futebol soçaite. O do Lago Sul “é um pouco maior” em área construída.

Tem ares de casa de fazenda e, para onde se olhe, é um museu de arte, principalmente a paraibana.

Status herdado. Raimundo Lira nasceu rico, em Cajazeiras, no dezembro de 1943. Seu pai, José Augusto Lira, já vendia Jeeps Willys importados. Tinha frota de caminhão, empresa de ônibus, depósito de cereais e armazém de estiva. Foi nesse que botou Raimundo para aprender a trabalhar, desde os 11 anos. A disciplina foi reforçada no colégio salesiano, e nos dois anos em que foi da escola de cadetes do Exército, em Fortaleza (CE) e em Campinas (SP).

No clima acirrado que marca os trabalhos da comissão, o senador tem sido paciente e contemporizador, sem prejuízo de baixar o centralismo quando entende que é o caso. “O meu dever é o meu prazer”, diz, citando uma frase do manual de bom comportamento de Zé Augusto Lira. Ou duas: “Só sabe dar conselho quem sabe receber conselho”. É mais ou menos o que faz no controle da caldeira: “Quando vejo alguém impaciente, infeliz, ou nervoso, peço pra chamar, converso, e resolvo, ou tento resolver”.

Pergunte-se, de supetão, se o jogo já não está decidido, contra a presidente Dilma, na medida em que ninguém tem se movido da posição em que está. “Não posso afirmar isso”, diz o senador. “Toda situação política se movimenta. A gente não sabe o que vai acontecer. O momento político é de muitas surpresas.”

Tornou-se público, na campanha de 2010, quando se elegeu suplente do senador Vital do Rêgo, hoje no Tribunal de Contas da União, que o patrimônio de Lira chegava a R$ 54.343.693,03, como consta nas três laudas de sua declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral (disponível na internet). “São valores de custo, como a legislação me permite”, diz. Definindo-se política e ideologicamente como “de centro, mas um pouco pra esquerda”, o senador, que é católico, comentou: “Se não fosse a esquerda, o capitalismo seria um horror”.

Leão. Sua atitude mais inusitada na comissão do impeachment, em maio, tratou, justamente, da fortuna que tem. Irritado com a notícia de ter feito contribuição eleitoral sem dinheiro disponível – que já desmentira, sem êxito –, parou os trabalhos para um pronunciamento de caráter pessoal.

Revelou, então, para os milhões de telespectadores que assistem à comissão, e para estupefatos senadores, que pagou, no ano passado, como pessoa física, R$ 527 mil reais de Imposto de Renda, por mês, “25 vezes mais do que eu recebo líquido do Senado” (R$ 22 mil, que, conta, aplica integralmente na despesa do gabinete, onde só gasta R$ 15 mil dos R$ 35 mil a que tem direito). “São mais de R$ 6 milhões por ano”, sublinhou, ajeitando-se no sofá.

Na comissão informou, ainda, que não respondia a processos de qualquer natureza. Mas à uma execução fiscal por não pagamento de IPTU, como ainda consta no site do Tribunal de Justiça da Paraíba. Explicou que um de seus inquilinos não pagara, e que já mandara regularizar a situação.

Minoria. Na poltrona amarela, o senador relembrou como chegou à comissão do impeachment. Já favorável à abertura do processo, o primeiro passo foi dele: pediu ao líder do PMDB, senador Eunício Oliveira (CE), que o indicasse para membro da comissão. Argumentou que já tinha passado pela experiência do impeachment de Collor, em 92. Eunício não só gostou, como o convidou para ser presidente. Lira pediu três dias para pensar. Ao bater o martelo, disse a Eunício duas obviedades – que seria suprapartidário e imparcial – e uma singularidade: não deixaria a maioria esmagar a minoria.

No balanço que faz das mensagens que chegam nas redes sociais que frequenta, e no WhatsApp, o senador contabiliza 70% de comentários favoráveis, 15% de recomendações sobre o que acham que deveria fazer e 15% de críticas, parte delas achando que dá espaço demais para os pelejadores de Dilma – onde se destacam, por mais belicosos, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e as senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Vanessa Grazziotin (PC do B-AM, nascida em Videira-SC).

“Gosto muito do Lindbergh, que também é paraibano”, disse. “A senadora Vanessa defende seus pontos de vista com garra”, acrescentou. “Com a senadora Gleisi, a relação é de perfeita cordialidade.”

Lira não toma calmantes. O que tem feito, há 25 anos, três vezes por dia, é tomar o mesmíssimo suco: maçã e pera geladas, com água natural, batidas no liquidificador. “É um hábito, e nunca enjoei.”

Ramo. Faz algum tempo que o empresário Raimundo Lira vendeu todas as concessionárias – onde chegou a ter 1.500 empregados registrados. Hoje só tem 22, a turma que lhe serve. Aluguéis, principalmente na Paraíba e em Brasília, são uma parte substancial do que entra na arca. A outra, mais robusta, vem de sua única atividade empresarial: é parceiro da Cyrela Brazil Realty, uma das maiores incorporadoras e construtoras de imóveis do País.

O senador tem um passatempo: montar álbuns de fotografias para eventos familiares. Já fez 300 deles, contou. Em um dos alguns há um bilhete de namorado a dona Gigi.

Lira já cogita que possa sair candidato a governador da Paraíba em 2018, embora prefira a reeleição ao Senado. A depender, é claro, de como esteja o mundo político até lá.

Estadão

Educadora guarabirense, Detinha Diogo, faria 80 anos neste sábado

Detinha Diogo
Detinha nasceu em 1935 em Currais Novos (RN)

A educadora Detinha Diogo, falecida no final do ano passado, completaria neste sábado (25) oitenta anos. Nascida em Currais Novos, chegando aqui ainda muito jovem. Ela frequentou o Colégio da Luz e, posteriormente, juntamente com sua família, o adquiriu. Antes, a escola pertencia à Diocese de Guarabira.

A professora Detinha Diogo trabalhou muitos anos no Banco do Nordeste, tendo antes sido colaboradora do saudoso comerciante José da Cunha Rego.

Detinha Diogo foi também Secretária de Educação e Cultura de Guarabira, durante o primeiro governo do atual prefeito Zenóbio Toscano.

Sob sua direção, auxiliada por seus filhos, o Colégio da Luz consolidou-se com uma das instituições de educação mais importantes do Nordeste, em razão do nível de excelência de seu projeto pedagógico, sendo uma das mais tradicionais e modernas.

Neste sábado, a direção do Colégio da Luz divulgou uma nota lembrando a data. Confira:

Com CartaPB e Colégio da Luz

Após polêmica, Safadão diz que vai doar dinheiro do cachê em Caruaru

Safadão em Caruaru
Safadão cantou para mais de 100 mil pessoas

Após a Justiça questionar o cachê de R$ 575 mil no São João 2016 de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, o cantor Wesley Safadão disse que vai doar o dinheiro para instituições de caridade do município. Ele falou neste sábado (25) que “o dinheiro de Caruaru voltará para Caruaru” e que tocaria na cidade “até de graça”. Uma ação popular impetrada por advogados pediu o cancelamento do show, alegando suspeita de superfaturamento no cachê do artista.

No dia 22 de junho, o juiz José Fernando Santos de Souza deferiu uma liminar para suspender o show de Wesley Safadão. A decisão foi tomada após três advogados do município entrarem com uma ação popular para pedir o cancelamento do show. No mesmo dia, o desembargador José Viana Ulisses acatou o pedido da Prefeitura de Caruaru e decidiu que a apresentação deveria ser realizada.

O Ministério Público Federal (MPE) chegou a questionar a diferença dos preços dos cachês cobrados em Caruaru e Campina Grande. Na Capital do Forró, o valor é de R$ 575 mil, já na cidade paraibana seria de R$ 165 mil – valor confirmado pela prefeitura de Campina e negado pela empresa que cuida dos shows do artista.

Durante a apresentação deste sábado no Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, Wesley Safadão disse que foi questionado nas redes sociais sobre o valor cobrado no cachê e afirmou que vai doar o dinheiro para instituições carentes do município. O anúncio foi feito quase no final do show – que durou duas horas. “Se o problema é dinheiro, pode espalhar aí que o meu cachê está voltando para Caruaru para ajudar a quem realmente precisa. Em Caruaru eu toco até de graça. O que eu não quero é ficar de fora desta festa”, afirmou o artista.

O show mais esperado da noite foi o último e teve início com a música “A Dama e o Vagabundo” e seguiu com uma sequência de sucessos do cantor – acompanhados pelo público, que apesar da chuva continuou dançando e cantando. Ele também cantou hits do sertanejo e do funk. A noite ainda contou com as apresentações de Gatinha Manhosa, Bichinha Arrumada e Jorge de Altinho – que desfilou os maiores sucessos dele.

Confusão nos portões
Os portões do Pátio de Eventos Luiz Gonzaga foram fechados antes das 21h – quando a capacidade máxima do espaço, 100 mil pessoas, já havia sido atingida. Sem acesso ao Pátio do Forró, milhares de pessoas ficaram do lado de fora. Insatisfeitas, algumas pularam os muros, já outras arrebataram as grades das entradas de emergência.

Uma das grades foi invadida por duas vezes – uma correria tomou conta da rua e houve tumulto. Em um dos portões, a polícia precisou conter a multidão com spray de pimenta. Algumas pessoas jogaram pedras e latas de cerveja dentro do Pátio de Eventos. A cavalaria foi acionada, mas não conseguiu conter as pessoas que invadiram o espaço.

Muitos reclamaram que se sentiram insatisfeitos pela falta de organização. “É um absurdo isso com os moradores de Caruaru e com os visitantes. A gente ficar do lado de fora e ainda essa confusão nessas entradas”, afirmou a comerciária Isabela de Azevedo. Milhares de pessoas também se aglomeraram nas entradas principais do Pátio do Forró e vaiaram porque não conseguiram entrar.

A confusão não foi apenas do lado de fora. Na entrada para o show, forrozeiros reclamaram de tumulto nas filas. Flávia Gabriela da Silva, de 15 anos, veio de São Caetano, no Agreste, e chegou ao espaço às 17h, mas só conseguiu entrar às 20h. “Levei muitos empurrões, estava uma grande confusão na entrada, mas mesmo assim eu vim porque eu queria ver o Wesley”, disse a estudante.

Com G1

Cinemaxxi do Shopping Cidade Luz deve ser inaugurado dia 14 de julho

Cinemax
Obras estão avançadas

A cidade de Guarabira e toda a região do Brejo aguardam com expectativa a inauguração do Cinemaxxi no Shopping Cidade Luz. Os aficionados por cinema não mais vão precisar ir a João Pessoa para conferir o que existe de melhor em lançamentos planetários da sétima arte.

Os preparativos para a inauguração da sala de cinema estão avançados. As poltronas já estão sendo colocadas em seus devidos lugares, os modernos equipamentos sendo instalados, tudo sendo cuidado com muito carinho para, na primeira metade de julho, provavelmente dia 14, ser entregue oficialmente ao público.

Sob a supervisão da empresária Isadora Coutinho, o Cinemaxxi promete revolucionar o mercado de cinema na região. Será a primeira sala com padrões de comodidade de shopping e atendendo aos mais exigentes consumidores da telona.

Com Portal 25 horas

Chapa Nado Mendes e Roberto Oliveira tem 90% de chance de acontecer, afirma petista

Nado e Roberto
Rosinaldo e Roberto durante evento político

O suplente de vereador e empreendedor das comunicações em Pilõezinhos (PB), Roberto Oliveira (PB), está muito animado com a possibilidade de ser escolhido como vice-prefeito na chapa encabeçada pelo atual prefeito Rosinaldo Mendes (PMDB), pré-candidato a reeleição.

“Está quase 90% resolvido”, adiantou Roberto ao blog.

O pretenso vice da chapa peemedebista é um dos fundadores do PT local e também um dos idealizadores da Rádio Comunitária Pilõezinhos FM.

Os simpatizantes desta chapa devem aguardar até a convenção partidária, que pode ser realizada até o dia 15 de agosto.

Rafael San

OUÇA: Dom Lucena afirma que seguir Jesus é exigente, mas quem o encontra é feliz’

Durante sua homilia dominical, na manhã deste dia 26 de junho, na tradicional Missa da Catedral de Guarabira (PB), o bispo dom Francisco de Assis Dantas de Lucena afirmou: ‘seguir Jesus é exigente, mas quem o encontra é feliz’.

Ouça clicando abaixo:

Com Pascom da Diocese de Guarabira

Em CG, Pe. Manzotti trata de crise, eleições e união homoafetiva durante coletiva. Ouça

Manzotti Coletiva
Pe. Manzotti atendendo a imprensa em Campina Grande

Nesta terça-feira, 21 de junho, às 19h, o Padre Reginaldo Manzotti recebeu a imprensa paraibana para uma entrevista coletiva, na área dos camarins do maior São João do Mundo em Campina Grande (PB). A Pastoral da Comunicação da Diocese de Guarabira participou da coletiva.

O show do Padre Reginaldo Manzotti, era um dos mais esperados pela comunidade católica, e teve início às 20h, no palco principal do Parque do Povo.

O sacerdote veio ao Maior São João do Mundo por meio de uma parceria entre a Prefeitura Municipal, Comunidade São Pio X e o Projeto Fé e Cultura da Diocese de Campina Grande.

Ouça os principais temas abordados pelo Padre Reginaldo Manzotti

Rafael San

Padre Reginaldo Manzotti faz show em Campina Grande nesta terça

manzoti
Padre Manzotti faz shows em todo o Brasil

Esta terça-feira, dia 21, promete levar mais um recorde de público para o Parque do Povo, durante o Maior São João do Mundo, em Campina Grande. O Padre Reginaldo Manzotti, pela primeira vez na festa junina da cidade, fará um grande momento de evangelização pela música. O show acontecerá a partir das 20h, no palco principal, com entrada gratuita.

O sacerdote vem ao Maior São João do Mundo por meio de uma parceria entre a Comunidade São Pio X, o Projeto Fé e Cultura da Diocese de Campina Grande e a Prefeitura Municipal. São esperadas caravanas de várias regiões do estado da Paraíba que devem se juntar ao público campinense e aos turistas que estão na festa junina para a realização de um evento marcante dentro do Maior São João do Mundo.O show faz parte da celebração aos 25 anos da comunidade São Pio X.

Sacerdote, escritor, músico, compositor, cantor e apresentador de rádio e TV, o padre Reginaldo Manzotti reúne todas as suas habilidades em prol da evangelização. Em 2015, foi eleito pelo portal espanhol “Aleteia” o sacerdote mais acessado e seguido nas redes sociais do mundo e foi escolhido para ser Embaixador da Pastoral da Pessoa Idosa no Brasil.

Com mais de 1 milhão e meio de cópias vendidas, Padre Manzotti já lançou 12 CD´s e 4 DVD´s e foi indicado ao Grammy Latino em 2013 pelo trabalho “Paz e Luz”, gravado na Igreja da Candelária com as participações especiais de Thiaguinho, Fernando & Sorocaba, Thaeme & Thiago, Joanna e Cantores de Deus.

Padre Manzotti também recebeu o carinhoso apelido “o padre que arrasta multidões”, por reunir quase dois milhões de pessoas em suas missas seguidas de shows, a exemplo de sua passagem por Fortaleza, no Ceará, em outubro de 2015, durante o VIII Evangelizar, quando reuniu 1,8 milhão de pessoas no aterro da Praia de Iracema. Na ocasião, padre Reginaldo Manzotti celebrou aquela que foi considerada a terceira maior missa do Brasil. As duas primeiras foram celebradas pelos papas João Paulo II, em 1997, e Francisco, em 2013.

Maiores informações sobre o show e organização de caravanas para o evento em Campina Grande podem ser obtidas pelo fone (83) 3341-7017, através do e-mail [email protected] ou pelas redes sociais da Comunidade São Pio X.

Com Codecom

Ex-prefeito da Paraíba é preso e encaminhado para presídio de CG

Ex-prefeito preso
Orlando, é marido da atual prefeita de Puxinanã, Lúcia Aires Miranda.

Foi preso nesta segunda–feira (20), o ex-prefeito de Puxinanã, Orlando Dantas, depois de ser ouvido em audiência na Justiça Federal, em  Campina Grande.

O ex-prefeito responde processos por desvio de recursos públicos e improbidade administrativa.

Orlando, é marido da atual prefeita de Puxinanã, Lúcia Aires Miranda. O ex-prefeito foi levado para o presídio do Serrotão, em Campina Grande, e  está a disposição da Justiça.

Orlando enfrenta graves problemas de saúde há alguns meses  e está numa cadeira de rodas, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e realiza o tratamento de hemodiálise.

MaisPB e Heleno Lima