“Quando morre um capoeira, morto assim à traição, fica íngreme a ladeira e mais pesado o caixão”, cantou o cantor e compositor paraibano Chico César, em publicação recente no Instagram, ele homenageia Romualdo Rosário da Costa, Mestre Moa do Katendê, morto em Salvador (BA) por um apoiador do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

No vídeo, após cantar a música, Chico pede paz. “Queremos paz para o povo negro, queremos paz para os guerreiros da liberdade, viva Mestre Moa”.

“Não tenho controle sobre os milhões que me apoiam”

Bolsonaro comentou em entrevista nesta terça-feira (9) sobre o trágico episódio envolvendo Mestre Moa e disse que não se sente responsável. Ele pediu aos seus eleitores que não pratiquem isso.

“Pô, cara! Foi lá pergunta essa invertida… quem tomou a facada fui eu, pô! O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao Pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões de pessoas que me apoiam”, declarou o presidenciável.