Efraim Filho (DEM)

Parlamentares que se autodeclaram favoráveis à reforma querem que o governo retire do texto a previsão de mudanças no regime de aposentadoria de servidores estaduais, deixando o ônus da reforma nos estados para os governadores.

Neste grupo estão incluídos professores, policiais militares e bombeiros.

O texto enviado pelo governo Bolsonaro prevê que as regras para estes servidores sejam reformuladas. Os militares estaduais deverão seguir as normas dos militares das Forças Armadas, com idade mínima de aposentadoria aos 55 anos. Professores terão como idade mínima 60 anos.

O deputado Efraim Filho (DEM-PB) foi na mesma linha, ao defender que o tema seja apreciado pelas assembleias legislativas locais. Em suas palavras, os deputados estaduais devem “deixar as suas digitais” na reforma da Previdência, sob pena de tomarem o lugar dos colegas no parlamento federal nas próximas eleições.

“Vivemos a batalha da responsabilidade contra o populismo. É preciso deixar claro que o estado que foi responsável cresceu. Se não ficaremos para sempre sofrendo com o discurso de que ‘fizemos maldade’”, disse.

Clique AQUI e confira a reportagem completa

ManchetePB com Folha