No primeiro Frozen, vimos Elsa se tornando rainha de Arandelle e mostrando para sua irmã mais nova que o amor verdadeiro não era exatamente como os contos de fadas nos diziam, mas todo esse empoderamento também fez com que os fãs quisessem desesperadamente que Elsa se tornasse a primeira princesa LGBTQ+ da Disney.

A ideia ganhou repercussão na internet e até chegou a ser apoiada por Idina Menzel, atriz que dá voz à Elsa na versão original do filme, mas de acordo com Kristen Anderson-Lopez, compositora que trabalhou nas canções dos dois filmes da franquia, não veremos isso acontecendo em Frozen 2.

“Assim como no primeiro filme, Elsa não é definida por um interesse amoroso. Existem tantos filmes que definem uma mulher por seu interesse amoroso. Essa não é a história que queríamos contar nesse momento.”

Apesar de deixar em aberto a possibilidade para o futuro, Lopez afirma que eles realmente queriam focar a trama em Elsa descobrindo a origem de seus poderes e encontrando outros iguais à ela.

“O que realmente queríamos contar era se você tinha esses poderes, como você cresce e muda e encontra seu lugar no mundo e encontra respostas que não foram encontradas antes?

  • Da Redação/ Com legião dos heróis.