Ex-deputado federal André Amaral foi acusado de cobrar propina para liberar emenda parlamentar (Foto: Gilmar Felix / Câmara dos Deputados)
Ex-deputado federal André Amaral foi acusado de cobrar propina para liberar emenda parlamentar (Foto: Gilmar Felix / Câmara dos Deputados)

O ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, confessou à Polícia Federal o esquema que resultou na compra do seu mandato junto ao ex-prefeito Luceninha e detalhou como funcionou a organização. A confissão foi feita na Superintendência da PF em Cabedelo, na Grande João Pessoa, no dia 9 de abril deste ano, mas o documento só veio a público nesta segunda-feira (29). A Polícia Federal indiciou Leto e outros 17 investigados na Operação Xeque-Mate.

Entre as acusações feita pelo ex-prefeito durante sua confissão, consta que o ex-deputado federal André Amaral (Pros) cobrou propina para liberar uma emenda parlamentar para a área de saúde. O pagamento da contrapartida então foi feita a partir de uma dívida que a Prefeitura de Cabedelo tinha com a empresa Fort. A Prefeitura de Cabedelo pagou parte da dívida que tinha de R$ 350 mil à empresa, que, por sua vez, repassou R$ 100 mil ao então deputado federal André Amaral, mais especificamente ao pai do ex-deputado.

Confira abaixo a delação realizada por Leto Viana na íntegra: