Candidato de Eduardo Bandeira de Mello à sucessão presidencial, o vice-presidente de futebol do Flamengo Ricardo Lomba prometeu, após a derrota contra o Ceará, providências para afastar novos resultados surpreendentes como o do último domingo no Maracanã.

“Não tem nada de afastar treinador, nada disso”, avisa o dirigente. Embora exista rotina de reuniões no departamento, os encontros neste início da semana são diferentes. O objetivo é identificar os motivos para queda acentuada de rendimento da equipe após a Copa do Mundo. Nesta terça-feira, antes de embarcar para Porto Alegre, onde enfrenta o segundo colocado Internacional, no Beira-Rio, o vice de futebol se reúne diretamente com os atletas.

Em consulta ao departamento jurídico, o Flamengo ainda avalia se escala Réver, sob pena de pagar R$ 1 milhão pelo estipulado em contrato. Lomba afirma que a decisão será tomada após o treino desta terça-feira. O dia será marcado por novas reuniões no CT do Rubro-Negro.

– Fizemos algumas reuniões. Houve a nossa conversa (Lomba, com o diretor geral Bruno Spindel e o diretor de futebol Carlos Noval), depois eles ainda conversaram com os jogadores, mas eu não participei. Amanhã de manhã temos outra reunião. Quero ver a percepção dos atletas. Vamos nos reunir para ver onde vamos chegar. A reunião é para entender o que está acontencendo e tomar providências – afirmou o vice de futebol do Flamengo.

O grupo de Lomba promove encontro de apoio ao candidato nesta noite num hotel na Zona Sul carioca. No futebol, a cinco pontos do líder São Paulo, e nas semifinais da Copa do Brasil, a missão é clara: espantar a má fase e fazer jus ao investimento alto e constante em atletas.

Questionado se a estratégia de não revezar mais vezes os jogadores em três competições pode pesar no rendimento, Lomba se baseia nas análises internas do departamento de futebol para defender a estratégia.

– Foi a estratégia utilizada e adotada em função de exames feitos. Não posso creditar a queda a isso exceto se considerar o estresse mental. Que aí não é so cansaço físico. Tem a pressão de ganhar os jogos, ganhar o tempo todo. Estamos buscando também essa resposta no departamento de psicologia. Queremos entender o problema para resolver. Cobrando todos envolvidos no processo para encontrar respostas. Não podemos repetir um resultado como esse (derrota para o Ceará) – reiterou Ricardo Lomba.

Do G1