O senador José Maranhão (MDB) foi o relator do projeto (do aumento do salários do STF) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O mesmo, também foi o autor do requerimento que permitiu a Eunício Oliveira levar a discussão sobre o aumento do salários dos ministros do STF para o plenário.

Depois de tudo, se achou suspeito e se absteve do voto (já que sua esposa será uma das beneficiadas com esse aumento).

Segundo cálculos de consultorias da Câmara e do Senado, o reajuste poderá causar um impacto de R$ 4 bilhões nas contas públicas.

Enquanto o salário mínimo tem a “pretensão” de um aumento de 2,5% e os aposentados de 3,3%, os de togas (Ministros do Supremo) terão 16%, passarão de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil.

É por essa e outras, que muitos deles não obteve êxito nessa eleição. Eles (os políticos) só deram esse “agrado” por que serão beneficiados de ambos os lados tanto no Supremo (tendo benefícios) como no bolso.

Valdelânio Benjamim / ManchetePB