Um prisioneiro começou a roncar enquanto estava na mesa de autópsia depois de ser declarado como morto na região de Asturias, no norte da Espanha. Após entrar em colapso na própria cela, o homem de 29 anos foi levado ao necrotério já dentro de um saco e com as primeiras marcas delimitando as regiões da autópsia. O paciente estava pronto para começar o procedimento quando despertou ainda no local.

Gonzalo Montoya Jimenez estava cumprindo pena em uma penitenciária quando foi encontrado “morto” em sua cela. Após diagnóstico confirmado por três médicos diferentes, o homem foi levado para o necrotério do Hospital Universitário da região. Ali, o responsável pela autópsia só percebeu o erro quando o rapaz começou a roncar na mesa. A suspeita dos especialistas é de que o homem tenha sofrido um caso de catalepsia, condição caracterizada pela rigidez do corpo, perda de capacidade de resposta à dor e a falta das funções corporais, como a respiração.

Após permanecer inconsciente por 24 horas, Gonzalo finalmente conseguiu se comunicar e perguntou sobre a esposa, desconsiderando a hipótese de dano cerebral. De acordo com o jornal espanhol Telecino, ele permanece sob observação, em terapia intensiva, mas passa bem.