Candidato do PT a presidência, Fernando Haddad, se submeteu a uma sabatina de entrevistadores no Roda Viva. (Foto: Divulgação)

Com seu adversário no segundo turno fugindo do debate direito e entrevistas, o candidato do PT a presidência, Fernando Haddad, foi sabatinado nesta segunda-feira (23) no Programa Roda Viva, do Canal Cultura. Ele não poupou críticas a Bolsonaro e declarou que o ex-capitão não tem qualificação para governar numa democracia.

“Estamos alertando o Brasil. Meu adversário tem como principal herói o mais bárbaro torturador da ditadura militar. Ele não respeita a redemocratização. As qualificações dele não o habilitam pra governar o país em uma democracia”, declarou o petista.

O candidato também criticou as falas de Eduardo Bolsonaro, filho de Bolsonaro, de que para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) bastariam “um soldado e um cabo”.

Em resposta as acusações de apoio a regimes ditatoriais, Haddad esclareceu que o Partido dos Trabalhadores nasceu de uma alternativa às esquerdas tradicionais, longe de qualquer discurso autoritário. “O autoritarismo não nos interessa. Nem pela direita, nem pela esquerda. Tanto que os democratas estão em defesa da nossa candidatura”, explicou.

O petista também condenou o escândalo das fake news em aplicativos de mensagem, em especial no WhatsApp, pagas por empresário para beneficiar a candidatura adversária, denunciada pela Folha de S. Paulo, que viralizou essa semana nas redes sociais como ‘Caixa 2 do Bolsonaro’. “Temos uma estimativa de cerca de 13 milhões de mensagens falsas contra mim e a minha vice patrocinadas por caixa dois”.

Economia

Questionado sobre a baixa especulação do dólar no mercado financeiro em cenários onde Bolsonaro vence as eleições, Haddad retrucou que como economista entende que o mercado não funciona assim. “Há grandes especuladores que ganham muito dinheiro”.

Segundo o petista, Bolsonaro pretende vender empresas criadas pelo PT e junto com uma empresa que administra mais de 40 hospitais públicos.

Ele ainda acrescentou a necessidade de uma reforma bancária no país. “O Banco Central vai ter que fazer a reforma bancária. Vai ter que ser independente do mercado. Ou o Banco Central apresenta uma reforma bancária ou transfere pro Cade a responsabilidade de combater a concentração dos bancos”, declarou.

Lula

Haddad, que já havia declarado que não pretende conceder indulto ao ex-presidente Lula, preso em Curitiba desde abril. Segundo ele, ex-metalúrgico não quer indulto.

“O que o presidente Lula quer é um julgamento justo nas cortes superiores a que ele tem direito. Ele não está pedindo favor nenhum, não quer ser tratado de forma diferente de nenhum cidadão”, declarou o candidato.

Ping-Pong

  • Um erro e uma lição: ‘não ter feito uma reforma política’
  • Um ídolo: ‘Juscelino’
  • Uma música: ‘Fim da história, de Gilberto Gil, que tenho escutado muito ultimamente’
  • Um filme: ‘Um Sonho de Liberdade’
  • Um livro: ‘Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis’.
  • Frase: “Quem salva uma vida salva um mundo inteiro”. (Talmude).

Confira a entrevista na íntegra: