Nesta terça-feira (12), a deputada estadual Camila Toscano (PSDB) se posicionou contra o fim da cota para mulheres parlamentares por conta do uso de candidaturas laranja para desviar dinheiro do fundo partidário. De acordo com ela, é preciso que haja um fortalecimento das candidaturas femininas por conta do momento de emponderamento vivido por elas.

“Eu faço parte de um partido que tem investido muito nas candidataras femininas não só nas eleições, mas nos mandatos também, com cursos e workshops. Há uma preocupação muito forte, eu posso falar só do lado de cá da balança. Eu vejo como um fortalecimento das mulheres, um empoderamento”, declarou.

Em entrevista ao Sistema Arapuan, a maior participação das mulheres faz com que a política se torne mais humanizada: “não podemos punir os partidos que trabalham certo pelos que trabalham errado. Se há partidos que estão colocando candidaturas laranjas, tem que ser punido pela Justiça. Eu, quanto mulher, não posso pagar por isso”.

A tucana ainda sal em defesa das cotas: “mesmo com 30% do fundo sendo para as mulheres, temos uma representação pequena, somo apenas cinco, se tirar, será menor ainda. Temos que caminhar para frente, não existe isso de perder direitos”.

Valdelânio Benjamim – ManchetePB / Paraíba.com.br