“É o maior escândalo da história da Justiça Brasileira”. Foi assim que o o presidente do Partidos dos Trabalhadores (PT) na Paraíba, Jackson Macedo, comentou, durante entrevista na manhã desta segunda-feira (10), o vazamento, por meio site “Intercept”, de trechos de mensagens atribuídas a procuradores da força-tarefa da Lava Jato e o, na época, juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, extraídas do aplicativo Telegram.

Segundo o presidente, uma bomba caiu sobre o Brasil neste domingo que precisa ser investigada, onde uma “quadrilha organizada à partir de Curitiba”, interferiu diretamente nas eleições presidências afim de criminalizar o ex-presidente Lula, sem provas, para se autobeneficiar.

“Cai uma bomba na Lava Jato que, na minha opinião, foi montada uma gangue, uma quadrilha dentro do MPF de Curitiba tendo o juiz Sérgio Moro como principal mentor”, disse.

Ainda de acordo com Jackson Macedo, “juristas, da Associação de juízes pela democracia estão pedindo anulação do processo contra Lula e hoje, um grupo de advogados vai peticionar na OAB um pedido de cassação à aposentadoria compulsória de Moro para ele ser demitido”, disse.

Protestos em João Pessoa

Os Partido dos Trabalhadores promoverá, juntamente com movimentos sociais, à partir das 17h desta segunda-feira (10), uma manifestação em frente ao Ministério Público Federal (MPF) em João Pessoa pedindo a liberdade do ex-presidente Lula.

Valdelânio Benjamim – ManchetePB / WSCOM