Sebastião matando saudades da viola

Seguindo a voz do coração e a minha aptidão para contar histórias, resolvi refazer os passos de poetas que marcaram minha geração, especialmente dos cidadãos de Pilõezinhos/PB. Mas, não fui sozinho, envolvi outros amantes de belas histórias e aventuras: Marcileide (minha esposa), Jaelson Monteiro, José Neto, Aline Meireles e Mônica Cristina (atual prefeita). A razão para envolve-los é simples: “sozinho poderia chegar mais rápido, mas acompanhado, certamente, chegaria mais longe”. Uma pesquisa tão profunda não pode ser contaminada por egoísmos e personalismos, ao contrário, deve ser pública e bem contada para as futuras gerações. Sou grato a Deus por existir pessoas que ainda se interessam por temas dessa ordem.

Escolher o roteiro foi fácil. Precisaríamos olhar nos olhos da maior dupla de repentistas da história e assim aconteceu. Seguimos para Campina Grande/PB e Caicó/RN para encontrar Moacir Laurentino e Sebastião da Silva, respectivamente.

Fomos conferir as investidas do tempo contra os cantadores e lá encontramos dois resistentes, poetas que lutam contra a implacável ação do calendário e do relógio. Experiência escondida em seus cabelos brancos. Quando lembram o tempo de ouro que viveram, choram. Quando tentam cantar, nem sempre é possível. Só emoção! Porém seguem sorrindo, vibrando e emocionando pelo excelente lastro que deixaram.

Moacir está aposentado pela Ordem dos Músicos do Brasil

Moacir, recentemente vítima de um AVC – Acidente Vascular Cerebral, está recuperado e continua fazendo cantorias. Já Sebastião, deixou de nos encantar nos palcos para nos emocionar em sua casa. O velho Tião, como é carinhosamente chamado, pronuncia algumas palavras e sussurra canções do seu repertório.

Bem cuidada e amada pelos familiares, a dupla continua arrancando aplausos.

O material apurado é valioso e tem potencial de exposição em qualquer tempo da história. O Raízes do Brejo, em Pilõezinhos, de 23 a 25 de novembro, contará essa emoção com detalhes. Por hora, peço permissão para ainda degustar o momento vivido.

A equipe permanece anestesiada! Não queremos deixar essa adrenalina passar, ela mexeu com todos e foi maravilhoso. Sebastião da Silva e Moacir Laurentino aumentaram meu tanto de saudade

Rafael San – ManchetePB