Vereador denúncia superfaturamento de salários e nepotismo em contratações

O vereador Gilson Duarte (PSB) de Jacaraú, usou a tribuna da Câmara na sessão ordinária nesta quinta-feira (20) e fez denúncias gravíssimas contra a gestão do prefeito Elias Costa (PMDB).

Segundo as denúncias os registros dos balancetes trazem verdadeiras aberrações administrativas. Contratação de parentes com salários consideráveis e superfaturamento de salários de servidores escolhidos à dedo. Na folha de pagamento referente ao mês janeiro deste ano por exemplo, apenas uma auxiliar de serviços gerais recebeu R$ 2.200,00 e um gari recebeu cerca de R$ 1.800,00; quando para ambas as funções o salário médio é de R$ 950,00.

Além dessas informações, o vereador denunciou a falta de pagamento à prestadores de serviços. Ele relatou que veículos foram locados, mas o pagamento só foi feito para algumas pessoas, outras tiveram seus contratos cancelados e não foram pagos.

Coincidência ou não, o cunhado da vice-Prefeita Adriana Souza, popular Lula Catolé, em participação à Rádio local, fez a cobrança de pagamento pelos serviços prestados em locação de veículo para o transporte de estudantes. Por meio da assessoria de comunicação, a Prefeitura de Jacaraú rebateu a denúncia de Lula, dizendo que todos os pagamentos foram feitos para ele em março;  porém, em relação ao superfaturamento dos salários, nada de justificou.

França de Doutor (PTB), também vereador de oposição, reforçou as denúncias do vereador Gilson Duarte dizendo que Jacaraú é a única cidade no mundo em que um pintor recebe salário superior a de um técnico em saúde; segundo ele, cerca de R$ 3,740,00, foi pago para um profissional, enquanto outros na mesma função receberam um salário mínimo. “Na gestão do Prefeito “liso” só tem salário de marajá; mas a boa remuneração não é pra qualquer um, para ser bem remunerado, tem que ser parente do Prefeito ou da primeira-dama”-disse.

Gilson Duarte encerrou seu discurso convidando à população para se atentar aos próximos, pois, segundo ele, traria informações “estarrecedoras”.

Pery Camilo

COMPARTILHAR