Vigilantes se concentram em frente a empresas privadas de carros-fortes, em João Pessoa (Foto: Divulgação / Marcos Justino Filho)

Os vigilantes de carros-fortes entraram em greve desde 0h desta segunda-feira (29), na Paraíba. Segundo o presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança de Transportadoras de Valores, Laudivan Gonçalves, a greve acontece por tempo indeterminado. A categoria reivindica um aumento salarial de 5%, além de reajuste também no vale-alimentação.

O presidente do sindicato informou que os salários dos profissionais que trabalham nos carros-fortes variam entre R$ 1.541 a R$ 1.965, e que o pessoal da vigilância interna recebeu recentemente um reajuste, mas os empresários estariam se negando a negociar com o restante da categoria.

Ainda conforme Laudivan, a categoria só encerrará a greve após a concessão do reajuste. Ele acredita que pode faltar dinheiro nos caixas eletrônicos nas próximas horas, caso o reabastecimento não seja feito.

O desabastecimento também foi confirmado pelo presidente do Sindicato dos Bancários, Marcelo Alves. Ele lembrou que nesta segunda e terça-feira acontece o pagamento dos servidores do estado e de algumas prefeituras, e o grande fluxo de saques nos caixas pode deixar os equipamentos sem dinheiro.

Os vigilantes estão concentrados em duas empresas privadas de segurança a carros-fortes, nos bairros de Manaíra e Mandacaru, em João Pessoa.