Veículo funciona como táxi, mas é muito mais em conta para o passageiro (Foto: Reprodução/Rede Globo)
Veículo funciona como táxi, mas é muito mais em conta para o passageiro (Foto: Reprodução/Rede Globo)

Um meio de transporte muito comum na Índia conquistou os moradores de uma cidade no interior da Paraíba. Funciona como táxi, mas é bem mais em conta.

Olhando de trás, parece um carrinho; de frente, uma espécie de moto; mas, na verdade, nem uma coisa, nem outra. O tuk tuk foi criado na Ásia e ainda é um transporte comum por lá.

Quando viu um desses pela internet, Seu Lito logo pensou que seria um negócio da China. “Aqui pode transportar o seu filho com mais segurança do que na garupa de uma moto, transportar um idoso com mais segurança. Uma senhora pode vir de saia, de calça comprida, do que vier. Vem no tuk tuk”, diz ele.

Por lá, a opção para quase todo mundo era o mototáxi. Agora, a moda que veio do outro lado do planeta conquistou a população na cidade de Monteiro, no Cariri da Paraíba. A criançada adora.

Virou até atração turística. “Muito bom! A gente é do Recife, não tinha isso lá”, conta um turista.

O tuk tuk tem bagageiro, extintor de incêndio, freio de mão, até cinto de segurança. Faz mais de 20 quilômetros com um litro de gasolina e, em mais de dois anos rodando pelas ruas de Monteiro, só um acidente, sem gravidade. São três tuk tuks na cidade e tantos pedidos que foi preciso criar uma central telefônica.

Dentro, não tem muito espaço, mas até que é confortável, protegido do sol. E, quanto mais apertado, mais barato fica: sozinho, paga R$ 3. Se trouxer mais um passageiro, dois por R$ 5. E se foram mais dois passageiros? “Aí a gente negocia, mas o passageiro não deixa de ir, não”, diz o motorista, seu Bosco.

O preço e a segurança atraem a comerciante Maria de Pedrosa, de 79 anos. Mas ela é cliente fiel do tuk tuk por outro motivo. “Quando eu saio todo mundo fica olhando. E a gente fica querendo aparecer. Eu acho bacana sabe?! Sombra, ao ar livre, eu acho gostoso”, afirma Maria.

Clique aqui e assista a reportagem exibida no Jornal Nacional da Rede Globo, na quarta-feira (03).