Quatro suspeitos foram presos em três cidades

Quatro pessoas foram presas em três cidades da Paraíba na segunda-feira (23) suspeitas de integrarem uma quadrilha responsável por golpes em transferências bancárias em todo o Brasil. O grupo é formado por dois homens e duas mulheres, entre 28 e 36 anos. Segundo o delegado Lucas Sá, da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa, a polícia chegou aos suspeitos após investigar transferências fraudulentas de contas bancárias de uma grande empresa do estado do Espírito Santo.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, uma mulher, de 30 anos, foi presa no Bairro das Indústrias, em João Pessoa; outro homem, de 36 anos, foi detido na cidade de Rio Tinto, no Litoral Norte; e um casal, de 28 e 30 anos, foi preso na cidade de Mamanguape, a cerca de 62 km de João Pessoa.

Após as primeiras investigações das transferências fraudulentas, a polícia identificou que a primeira transferência foi feita na sexta-feira (20), no valor de R$ 40 mil.

Na segunda-feira seria feita mais uma transferência, desta vez de R$ 30 mil, mas os suspeitos foram presos pela DDF antes que conseguissem sacar os valores transferidos.

Os agentes de investigação descobriram que o grupo fez pelo menos quatro transações fraudulentas, causando um prejuízo só a esta empresa de mais de R$ 200 mil.

“A organização criminosa possui integrantes com conhecimento avançado na área de informática, responsáveis por hackear as contas bancárias e senhas de sistemas internos de grandes empresas. Parte do grupo transfere valores para contas de ‘laranjas’, enquanto outros são responsáveis pela ‘contratação’ das pessoas que fornecem suas contas pessoais para a realização das operações”, informou o delegado Lucas Sá.

Segundo o delegado, um dos integrantes do grupo tinha sido preso anteriormente no Piauí aplicando golpes em agências bancárias, quando pedia ajuda aos clientes e trocava os cartões bancários. Além das quatro pessoas presas, a polícia identificou uma quinta pessoa suspeita de fazer parte da quadrilha, mas até o final da manhã desta terça-feira (24), ela seguia foragida.

Com as pessoas presas, a polícia apreendeu folhas de cheque em branco de vítimas da Paraíba e anotações de cartões de crédito, o que levanta a suspeita que de eles também podem praticar o crime de clonagem de cartões de crédito. Os presos estão recolhidos na carceragem da Central de Polícia do Geisel, em João Pessoa, onde aguardam a audiência de custódia. A polícia ainda está a procura de outros participantes do grupo e buscando identificar possíveis novas vítimas. As informações são do G1 Paraíba.