O Ministério da Saúde confirmou 87 casos de Delta identificados e notificados na Paraíba. Ao Portal T5, a pasta comandada pelo paraibano Marcelo Queiroga afirmou que o Brasil possui 2.736 diagnósticos positivos da variante do novo coronavírus confirmados até essa quarta-feira (1º).

Para a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o governo federal errou em apresentar dados superestimados já que foram confirmados 25 casos pelo Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz). Segundo a gestão estadual, as 87 amostras estão entre testes pré-delta identificadas por laboratórios paraibanos e enviados ao governo federal. “O problema é que estão considerando o que é pré-testado aqui, mas só podem confirmar após testes de referência”, disse a assessoria da SES.

A SES explicou que as 87 amostras enviadas ao Ministério da Saúde foram identificadas em análises prévias como variantes do novo coronavírus e de outras doenças. Entre os exames, 35 eram tratados como casos suspeitos da Delta. “Já retornaram 27 amostras, 25 como positivas e duas não”, completou.

Outra divergência está no índice de mortes pela Delta. Entre os 25 diagnósticos na Paraíba, um deles é referente a um óbito segundo a SES, mas essa notificação não existe no governo federal.

Por e-mail, a pasta do governo federal disse que “os dados são atualizados a partir das notificações das secretarias estaduais de saúde e são dinâmicos”. O Ministério da Saúde afirmou ainda que transmissão nos estados segue em investigação.

Variante Delta

A variante Delta do coronavírus (B.1.617), identificada pela primeira vez na Índia em outubro do ano passado, vem preocupando especialistas, países e entidades internacionais, além de brasileiras. No Brasil, a variante já causou pelo menos 20 mortes, segundo boletim do Ministério da Saúde.

As evidências reunidas até agora apontam que essa variante é mais transmissível.

De acordo com um artigo publicado na revista científica Eurosurveillance por pesquisadores ligados à OMS e ao Imperial College London, enquanto a variante alfa (B.1.1.7, responsável pelo primeiro surto no Reino Unido) teve aumento de 29% na transmissibilidade, os pesquisadores apontam que a Delta chegou a 97% de incremento em relação ao vírus original.

Vacinas

Embora as vacinas contra a covid-19 disponíveis no Brasil tenham sido desenvolvidas quando a variante ainda não circulava no país, elas são eficazes contra a Delta. “É importante ressaltar que todos os agentes imunizantes disponíveis para aplicação no Brasil são eficazes contra a Delta, principalmente nas formas mais graves da doença”, informa o Ministério da Saúde.

A pasta do governo federal ressalta que o avanço da vacinação é essencial para reduzir o caráter pandêmico da Covid-19 – mais de 233,2 milhões de doses já foram distribuídas para todo o país.

Do Manchete PB
Com Portal T5