Local tinha estrutura para arenas e espectadores (Foto: Assessoria de Imprensa / Polícia Militar)
Local tinha estrutura para arenas e espectadores (Foto: Assessoria de Imprensa / Polícia Militar)

A polícia desarticulou neste domingo (17), uma ‘rinha’ de canários no Sítio Várzea Grande, em Mari, Zona da Mata paraibana. No local, foram apreendidos 205 aves silvestres e 3 galos. Um total de 36 pessoas foram conduzidas para a Delegacia da Polícia Civil, em Sapé, onde foram autuadas por maus tratos, sendo oito delas também por manter em cativeiro, sem autorização, animais da fauna silvestre.

Conforme informações do aspirante Fábio Anderson, do Batalhão Ambiental, a polícia chegou até a rinha após denúncia anônima recebida pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop). “Reunimos várias viaturas do Batalhão Ambiental e com apoio da 3ª Companhia do 7º Batalhão cercamos o local e constatamos a veracidade das denúncias, conduzindo assim as pessoas até a delegacia para as providências cabíveis”, disse.

Dos 205 aves silvestres apreendidas, 199 eram canários que estavam sendo utilizadas pelos apostadores nas brigas, 1 Cabocolim, 1 Tiziu e 1 Curió – pássaro que no mercado negro chega a custar valores que ultrapassam R$ 2 mil reais.

Os suspeitos conduzidos até a delegacia foram autuados por maus tratos, cuja pena é de 3 meses a 1 ano de detenção, além de multa no valor de R$ 500 a 3.000 reais. Para os oito que também foram autuados por ter em cativeiro, sem autorização de órgão competente, animais da fauna silvestre, a punição é de 6 meses a 1 ano de detenção, além de multa no valor de R$ 500 reais.

O comandante do Batalhão Ambiental, major Tibério Leite, alertou que não só os donos dos animais são autuados nas operações, mas também quem assiste às brigas dos bichos. “Quem é encontrado nas rinhas apenas assistindo, também incorre nas mesmas penas de maus tratos e é imediatamente conduzido até a delegacia para se submeter às sanções administrativas (multa) e penais”, comentou.

Rinha de galo – A Polícia Ambiental constatou que o espaço, que possuía estrutura para acomodar vários ‘expectadores’ e realizar simultaneamente vários combates dos bichos, funcionava também de rinha para galos. Três galos com porte para briga foram apreendidos.