A trama se passa na comunidade dos Monteiros, localizada na zona rural da cidade de Cachoeira dos Índios, alto Sertão paraibano. Lá, acontece um festejo religioso e tradicional, chamado “A Mesa de Lázaro”. (Foto: reprodução)

“A Fome de Lázaro”, produção paraibana de Diego Benevides, foi o melhor curta-metragem brasileiro anunciado pelo Festival de Gramado, em sua 49ª edição, na noite desse sábado (21). Outros três artistas paraibanos também levaram a concorrida premiação: Melhor Fotografia, Rodolpho Barros, por Animais na Pista; Melhor Direção de Arte, Torquato Joel, por A Fome de Lázaro; Melhor Trilha Musical, Eli-Eri Moura, por Animais na Pista.

O curta vencedor é sobre a oferenda de banquetes a cães, em promessa a São Lázaro, na comunidade dos Monteiros, localizada na zona rural da cidade de Cachoeira dos Índios, alto Sertão paraibano. Lá, acontece um festejo religioso e tradicional, chamado “A Mesa de Lázaro”. O evento está ligado à religiosidade popular: os fiéis do Sítio Cipó dos Monteiros, que são devotos de São Lázaro, com crenças absorvidas e interpretadas pelo povo sertanejo, pagam a promessa no dia do santo, que acontece anualmente.

“Não sei nem o que dizer… tô muito feliz queria agradecer a minha equipe que acreditou no projeto, ao Sítio dos Monteiros e todos os personagens que trouxeram vida ao filme. Muito importante a gente estar trazendo esse prêmio para o nosso estado, que a gente está a cada dia reinventando o cinema”, agradeceu Benevides.

A produção foi realizada através do edital Walfredo Rodriguez, da prefeitura de João Pessoa, e é uma refilmagem do documentário de mesmo nome, feito em 1997 pelo paraibano Torquato Joel. Foram mais de 500 produções inscritas e apenas 14 curtas selecionados.

A primeira edição do Festival de Cinema de Gramado foi em 1973, quando a produção ‘Toda Nudez Será Castigada’, de Arnaldo Jabor, foi premiada. Mais de mil troféus Kikitos foram distribuídos entre profissionais do cinema que venceram o Festival em diferentes categorias. Desde 1992, a programação conta com uma mostra competitiva de filmes ibero-americanos. Os troféus Oscarito, Eduardo Abelin, Kikito de Cristal e Cidade de Gramado prestam homenagem a atores, cineastas e personalidades ligadas ao cinema.

CONHEÇA OS VENCEDORES DO 49º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO    

CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS                       

Melhor Filme – “A Fome de Lázaro”, de Diego Benevides
Melhor Direção – Fabio Rodrigo, por “Entre Nós e o Mundo”
Melhor Ator – Lucas Galvino em “Fotos Privadas”
Melhor Atriz – Tieta Macau em “Quanto Pesa”
Melhor Roteiro – Marcelo Grabowsky, Aline Portugal e Manoela Sawitzki, por “Fotos Privadas”
Melhor Fotografia – Rodolpho Barros, por “Animais na Pista”
Melhor Montagem – Caroline Neves, por “Entre nós e o Mundo”
Melhor Trilha Musical – Eli-Eri Moura, por “Animais na Pista”
Melhor Direção de Arte – Torquato Joel, por “A Fome de Lázaro”
Melhor Desenho de Som – Breno Nina, por “Quanto Pesa”
Melhor Filme pelo Júri Popular – “Desvirtude”, de Gautier Lee
Melhor Filme pelo Júri da Crítica – “Entre Nós e o Mundo”, de Fábio Rodrigo
Prêmio Especial do Júri – Fabio Rodrigo, por “Entre Nós e o Mundo” por responder de forma consciente em termos estéticos, afetivos e narrativos a pergunta “Como falar da dor da perda e ainda ter esperança?”.
Menção honrosa da Comissão Julgadora para os curtas brasileiros vai para o filme “A Beleza de Rose”, de Natal Portela, por fazer um delicado recorte da vida de muitas mulheres negras no nordeste do Brasil.
Prêmio Canal Brasil de Curtas – “A Beleza de Rose”, de Natal Portela

LONGAS-METRAGENS ESTRANGEIRO                
Melhor Filme – “La Teoría De Los Vidrios Rotos”, de Diego Fernández Pujol
Melhor Filme Júri Popular – “La Teoría De Los Vidrios Rotos”, de Diego Fernández Pujol
Melhor Filme pelo Júri da Crítica – “Planta Permanente”, Ezequiel Radusky
Prêmio Especial do Júri – Pela abordagem de temas tão presentes em nossa sociedade, que refletem as consequências de um sistema corrompido e afetam diretamente os valores humanos; e pelas interpretações das protagonistas femininas que representam a força das mulheres latinas em nosso cinema. O Júri de Longas-metragens estrangeiros do 49º Festival de Cinema de Gramado decidiu conceder o Prêmio Especial do Júri ao filme “Planta Permanente”, de Ezequiel Radusky.

LONGAS-METRAGENS GAÚCHOS                
Melhor Filme – “Cavalo de Santo”, de Carlos Eduardo Caramez e Mirian Fichtner
Melhor Direção – Gilson Vargas, por “A Colmeia”
Melhor Ator – João Pedro Prates, por “A Colmeia”
Melhor Atriz – Luciana Renatha, Alexia Kobayashi e Veronica Challfom, por “Extermínio”
Melhor Roteiro – Carlos Eduardo Caramez, por “Cavalo de Santo”
Melhor Fotografia – Bruno Polidoro, por “A Colmeia”
Melhor Direção de Arte – Gilka Vargas e Iara Noemi, por “A Colmeia”
Melhor Montagem – Joana Bernardes e Mirela Kruel, por “Extermínio”
Melhor Desenho de Som – Gabriela Bervian, por “A Colmeia”
Melhor Trilha Musical – Cânticos Sagrados dos Orixás preservados pelos Terreiros gaúchos e Alabê Oni, por “Cavalo de Santo”
Melhor Filme pelo Júri Popular – “Cavalo de Santo”, de Carlos Eduardo Caramez e Mirian Fichtner

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS                    
Melhor Filme – “Carro Rei”, de Renata Pinheiro
Melhor Direção – Aly Muritiba, por “Jesus Kid”
Melhor Ator – Nando Cunha, em “O Novelo”
Melhor Atriz – Glória Pires, em “A Suspeita”
Melhor Roteiro – Aly Muritiba, por “Jesus Kid”
Melhor Fotografia – Bruno Polidoro, por “A Primeira Morte de Joana”
Melhor Montagem – Tula Anagnostopoulos, por “A Primeira Morte de Joana
Melhor Trilha Musical – Dj Dolores, por “Carro Rei”
Melhor Direção de Arte – Karen Araújo, por “Carro Rei”
Melhor Atriz Coadjuvante – Bianca Byington, por “Homem Onça”
Melhor Ator Coadjuvante – Leandro Daniel Colombo, por “Jesus Kid”
Melhor Desenho de Som – Guile Martins, por “Carro Rei”
Melhor Filme pelo Júri Popular – “O Novelo”, de Claudia Pinheiro
Melhor Filme pelo Júri da Crítica – “A Primeira Morte de Joana”, de Cristiane Oliveira
Prêmio Especial do Júri para Matheus Nachtergaele, em “Carro Rei”, pela construção e domínio do personagem e pela brilhante capacidade de se reinventar.
Menção honrosa para Fernando Lufer, Michel Gomes, Victor Alves, Kaike Pereira, Pedro Guilherme e Caio Patricio por seu talento e potência em “O Novelo”.
Menção honrosa para Isabél Zuaa pela bela e impactante atuação em “O Novelo”

ClickPB